Muito a fim de vento a favor

PA reciclada de filme assedia mercado brasileiro de injeção

A hegemonia da Ásia, EUA e Europa nas importações brasileiras de poliamida (PA) reciclada começa a abrir lugar a outras paragens no pódio. Se tudo correr conforme o planejado, o mercado interno começa neste semestre a receber PA 6 recuperada de filme biorientado (BOPA) pela fábrica no Chile do peruano Oben Holding Group. Adquirida em 2013 da chilena Sigdopack, a unidade roda desde 2005 com capacidade nominal de 5.000 t/a da película e é a única no gênero na América do Sul. “Ao final de 2015, a planta iniciou a extrusão de resíduos gerados em linha, reciclando centenas de toneladas de BOPA em PA 6 natural e PA 6 com 30% de reforço para uso em injeção”, adiantou a Plásticos em Revista Eduardo Korkes, dirigente da TERA8 Comercial, consultor do grupo Oben nessa tacada. As vendas do material internado e o recebimento de pedidos de importação feitos diretamente por clientes deverão estar em vigor no quarto trimestre, ele prevê. O Oben Group negou entrevista sobre sua manobra. Antes dessa negativa, Korkes comentava o plano de exportações do reciclado chileno para a América Latina, com particular atenção para o Brasil. “As resinas já estão aprovadas em dezenas de clientes de setores como o automotivo, moveleiro, elétrico e ferroviário, que reservaram frações do primeiro lote de 20 toneladas a chegar ao país”, assinala o empresário. “Muitos desses usuários estão prontos para substituir matérias-primas virgens pelo reciclado de BOPA, por sinal passível de pigmentação no mesmo percentual de resinas de primeiro uso”. Ele

 

Para continuar lendo cadastre-se gratuitamente.

Conteúdo restrito a assinantes e cadastrados.
Se você já é usuário, faça login.
Novos usuários podem se cadastrar abaixo.

 

Login de Usuários
   
Registro de Novo Usuário
*Campo obrigatório