A perna que faltava

Compra da Innova completa perfil da Videolar e pavimenta nova arrancada de Lirio Parisotto na petroquímica

Para Lirio Parisotto, 2014 fica como um ano denso e encorpado como os vinhos que ele mais aprecia. Afinal, foi quando ele fechou uma página e abriu outra em sua vida. De um lado, pingou o ponto final no negócio de mídias ópticas e, em meio à cerimônia do adeus, um punhado de injetoras vipíssimas e exclusivas para CD/DVD foi parar no ferro velho e desfalcou a Videolar de uma operação que foi seu cartão de visitas antes da chegada abrupta de entes como MP3 e Netflix. Em contrapartida, a compra da Innova, transação aprovada em 1º de outubro pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE), deu ao saci Videolar, comenta o empresário, a outra perna de que tanto carecia.

Conteúdo restrito a assinantes e cadastrados.

Se você já é usuário, faça login.
Novos usuários podem se cadastrar abaixo gratuitamente.

Login de Usuários
   
Registro de Novo Usuário
*Campo obrigatório