Uflex produz óleo com aparas de laminados

Gigante indiana de flexíveis recupera refugo com planta de pirólise

Nº1 da Índia em embalagens flexíveis, a transformadora Uflex eleva seu compromisso com a sustentabilidade, demonstrado em desenvolvimentos como filmes poliolefínicos biodegradáveis para assegurar shelf life de frutas frescas exportadas por modal marítimo, solução já em prática em vizinhos do Brasil como o Equador. O novo abraço da Uflex na economia circular é o aporte da ordem de US$700.000 numa planta de pirólise destinada a transformar resíduo plástico (aparas) em óleo, com capacidade inicial de 6 t/dia, e localizada no interior da matriz da empresa em Noida. Segundo ela divulga na mídia internacional, o processamento por pirólise de refugos à base de 70% de filmes de polipropileno biorientado (BOPP) e 30% da película biaxial de poliéster (BOPET) resulta numa produção repartida entre 45% de óleo; 45% de gás e 10% do pigmento negro de fumo. A unidade em Noida gera, em média, 10 toneladas de aparas de laminados por dia, das quais seis têm sido direcionadas à pirolise desde outubro último. Em paralelo, a Uflex aguarda a aprovação do poder público ao seu plano de erguer no seu mesmo complexo ou nas proximidades uma fábrica de reciclagem mecânica de plásticos.

COMPARTILHAR