Se fosse fácil não teria graça

Como a Eco Inova abre caminho em mercados complicados

Fernando de Noronha: vigas plásticas abolem madeira nos decks.
“Não geramos passivos ambientais e nossos produtos de reciclado pós-consumo são comparados a madeira, concreto, aço e fibra, confirmando-se adequados às aplicações solicitadas com base em quesitos como permeabilidade, condução elétrica, deformação, dureza e resistência”. Maurício Groke justifica assim o potencial vislumbrado para a sua transformadora Eco Inova, produtora de componentes para os setores viário e de distribuição de energia em Jaguariúna, no interior paulista. Se o governo cumprisse suas promessas de obras, pondera o dirigente até aliviado na entrevista a seguir, a capacidade da empresa seria atropelada. Mesmo assim, ele assevera sem soltar números, a demanda tem crescido sem alarido e intocada até agora pela crise. PR – Quando partiu a empresa e qual a atual capacidade instalada? Groke

Conteúdo restrito a assinantes e cadastrados.

Se você já é usuário, faça login.
Novos usuários podem se cadastrar abaixo gratuitamente.

Login de Usuários
   
Registro de Novo Usuário
*Campo obrigatório
COMPARTILHAR
Matéria anteriorA educação na lixeira
Próxima matériaEla carrega e toca o piano