Ineos compra clube de futebol

Grupo petroquímico adquire o Lausanne Football Club

Com os ativos do Brasil baratos em moeda forte e o estímulo do apreço mundial pelo nosso futebol, os nossos super hiper endividados clubes nacionais, Corinthians e Flamengo entre eles, têm motivos para esperar bons fluidos para o caixa emanados  pelo universo do plástico. Essa percepção nasce com a compra, anunciada pela petroquímica Ineos, sangue azul global em resinas estirênicas, de um clube da primeira divisão suíça, decisão em parte explicada pelo fato de o conglomerado ser anglo-suíço. Mas o fator-chave da compra do Lausanne Football Club, por montante não revelado, é o fato de Jim Ratcliffe, fundador da Ineos, ser chegado ao esporte a ponto de ser torcedor de carteirinha do britânico Manchester United. Conforme foi divulgado na mídia, Ratcliffe já sonha com seu clube nas alturas da tabela da Champions League uma demonstração de fé acima da racionalidade sinalizada pela constatação de que o Lausanne não vence o torneio suíço da série A desde 1965.