Descartáveis plásticos proibidos em Fernando de Noronha

Decreto veta entrada dos artefatos no arquipélago a partir de abril

O mar não está para peixe para os lados do plástico em Fernando de Noronha. Decreto chancelado pela administração do arquipélago e publicado em 13 de dezembro último determina a proibição, a partir de abril de 2019, do ingresso local de descartáveis plásticos. “O descarte inadequado de materiais plásticos nas praias e vias públicas colocam em risco a fauna local”, justifica a norma assinada pelo administrador geral Guilherme Rocha. Com essa canetada, Fernando de Noronha desponta como o primeiro local do Brasil a vetar  o uso e comércio de recipientes descartáveis, medida de alcance bem maior que a do banimento de canudos adotado este ano na cidade do Rio de janeiro. O decreto relativo a Fernando de Noronha concede o prazo de 120 dias a partir de sua publicação para a comunidade local adaptar-se à nova regra. Ela proíbe a entrada de artefatos de resinas e de poliestireno expandido (EPS)  como copos, talheres, canudos, sacolas, embalagens e garrafas com menos de 500 ml. Conforme divulgado na mídia, escapam do veto as garrafas a partir de 500 ml, sacos de lixo e filmes de embalagens de alimentos como os de carnes processadas.

COMPARTILHAR