Numa conjuntura de arrepiar, qualquer sinal de potencial incremento de vendas é abraçado de imediato feito tábua de salvação pela transformação de plásticos. Embora os Jogos Olímpicos de 2016 estejam restritos ao Rio, produtores de artefatos descartáveis esperam consequente aumento na demanda e alguns, levando em conta perspectivas de melhores dias, até acariciam investimentos. Em outros casos, o megaevento abrirá oportunidades para diminuição de ociosidade nas fábricas em tempos de consumo em fogo brando. Somando-se a tudo isso, se vislumbra outra janela de esperanças para descartáveis: o colapso no suprimento de água, principalmente na região sudeste. Segundo especialistas, a crise hídrica já faz com que restaurantes cogitem aderir a utensílios plásticos de uso único em vez dos tradicionais de vidro

Conteúdo restrito a assinantes e cadastrados.

Se você já é usuário, faça login.
Novos usuários podem se cadastrar abaixo gratuitamente.

Login de Usuários
   
Registro de Novo Usuário
*Campo obrigatório
COMPARTILHAR
Matéria anteriorEm berço esplêndido
Próxima matériaFratura exposta