Uma bombona de bons fluidos

Por que a Legal Embalagens comprou a rival i9

Hespanhol: salto de 40% na capacidade instalada.
Hespanhol: salto de 40% na capacidade instalada. A bazuca da economia em deprê abateu em pleno voo a i9 Plásticos, transformadora há seis anos na ativa em Guarulhos, Grande São Paulo, e centrada em bombonas para mercados como óleo lubrificante. “Diante da rentabilidade muito ruim, os acionistas Wagner Ribeiro e Farmapart Administração e Participações S.A. resolveram passar adiante as máquinas e fechar a empresa. Foi quando nos propuseram vender o negócio”, conta Carlos Hespanhol, diretor da concorrente Legal Embalagens. Após certificar-se da capacidade de pagamento a partir da geração de caixa da Legal, “com praticamente zero de endividamento”, o martelo foi batido por cerca de US$ 1 milhão. “A compra aumenta em 40% a nossa capacidade produtiva e esperamos em seis anos o retorno do investimento”, ele projeta. Os portfólios da Legal e i9 são semelhantes e, com a incorporação, Hespanhol acalenta acenar ao mercado com mais opções de moldes e design de bombonas de polietileno de alta densidade (PEAD) virgem ou reciclado, todas elas homologadas para frete marítimo e terrestre. Em complemento, encaixa, a controlada Legal Aço comparece na praça com a manufatura de tambores metálicos.“Assumimos na i9 uma operação com capacidade diária para 5.000 bombonas de 20 litros, 1.200 de 50 litros e 4.000 de cinco litros, além de 5.000 funis diários”, descreve Hespanhol. “Com a compra da i9, passamos a ofertar bombonas de um a 200 litros”. Hespanhol deixa claro estar investindo na baixa para virar a página da crise com capacidade ampliada e à altura das

 

Para continuar lendo cadastre-se gratuitamente.

Conteúdo restrito a assinantes e cadastrados.
Se você já é usuário, faça login.
Novos usuários podem se cadastrar abaixo.

 

Login de Usuários
   
Registro de Novo Usuário
*Campo obrigatório