Um negócio de fazer a cabeça

Stratasys traça para transformadores o mapa da mina na impressão 3D

Anderson Soares, gerente de território no Brasil da Stratasys, blue chip norte-americana/israelense em impressoras 3D de padrão profissional, perdeu a conta de quantos transformadores de plástico já bateram à sua porta querendo saber como desfrutar essa tecnologia de manufatura aditiva em seu negócio. “O nível de conhecimento deles ainda é muito cru, sejam as empresas pequenas ou grandes, todas em geral de injeção”, constata o executivo. A propósito, ele reitera, a impressão 3D não compete com o processo de injeção. “Na realidade, ela o complementa e amplia o raio de alcance das aplicações de plástico”, coloca Soares. Essa conveniência vem à tona em duas frentes: a economia de tempo e custos na prototipagem e construção do molde e, por fim,

Conteúdo restrito a assinantes e cadastrados.

Se você já é usuário, faça login.
Novos usuários podem se cadastrar abaixo gratuitamente.

Login de Usuários
   
Registro de Novo Usuário
*Campo obrigatório