Um equilíbrio delicado

Se EPS não zelar por sua imagem, a casa cai

Morgado: repúdio a embalagens de EPS chega ao Brasil.
Por muito pouco, o setor de poliestireno expandido (EPS) não leva este ano um trompaço daqueles, na forma de um projeto lei (PL) detido em cima da hora, mediante intervenção esclarecedora da Plastivida e indústrias do material, em sua tramitação na Câmara Municipal de São Paulo. O texto original transpunha para o maior centro econômico do país uma tendência pulsante no Primeiro Mundo: a proibição de EPS em copos e embalagens alimentícias. Se aprovado, o banimento decerto deflagraria uma cachoeira de PLs clones Brasil afora. O risco abortado deve servir para abrir os olhos da cadeia nacional do expandido, no sentido de sair do mutismo e difundir na opinião pública as virtudes do material, de modo a cortar pela raiz

Conteúdo restrito a assinantes e cadastrados.

Se você já é usuário, faça login.
Novos usuários podem se cadastrar abaixo gratuitamente.

Login de Usuários
   
Registro de Novo Usuário
*Campo obrigatório