Total Corbion parte planta de PLA

Fábrica tailandesa do bioplástico utiliza cana de açúcar como fonte renovável

Plástico biodegradável mais consumido, o ácido polilático (PLA) tem sua produção mundial ampliada  para 240.000 t/a com a partida, formalizada em 3 de dezembro, pela  partida na Tailândia da fábrica de 75.000 t/a controlada pela Total Corbion, joint venture em partes iguais constituída há dois anos pela petroquímica francesa Total e a holandesa Corbion. A nova unidade, conforme divulgado para a mídia internacional, visa a produção de grades de PLA em séries standard, de alta resistência térmica e propriedades diferenciadas, polímeros obtidos a partir de amido das cana de açúcar e os mercados em vista contemplam desde a impressão 3D a embalagens, produtos de consumo, fibras e componentes automotivos, artefatos resultantes da extrusão, termoformagem, injeção e fiação. Em paralelo, a Total Corbion anuncia a expansão para 100.000 t/a de sua capacidade para gerar no mesmo complexo tailandês o monômero de PLA, ácido lático.

COMPARTILHAR