A Oral Gift, especializada na fabricação de estojos e acessórios para o segmento de higiene bucal, investe forte em capacidade produtiva e quer aumentar sua capilaridade Brasil afora. Ainda em 2015, o projeto é comprar duas injetoras e uma impressora tampográfica para expandir a produção em Curitiba (PR), antecipa o presidente e fundador Nilson Souza. “Não preciso de um equipamento de precisão, mas que gere um produto de qualidade e bom acabamento. Por isso, o que vai pesar na decisão é o preço”, ele determjna. Na fábrica da Oral Gift já operam três injetoras, duas com 170 toneladas de força de fechamento e uma de 80 toneladas, porém parte da produção é terceirizada. Em parceiros, foram alocados dois moldes de sopro e quatro de injeção, bem como as atividades de impressão. A empresa possui no total 21 moldes para seu mostruário. Na operação interna, a movimentação de matéria-prima ronda de 3 a 4 t/mês, principalmente de polipropileno (PP) random, acrilonitrila butadieno estireno (ABS) e policarbonato (PC). “É um volume pequeno porque nossos artigos são muito leves”, esclarece Souza, acrescentando que a peça mais pesada do portfólio tem 65 g. Com as aquisições de equipamentos, o dirigente projeta elevar o consumo de resinas para 5 t/mês, o que vai conferir mais poder de fogo nas negociações de compra de insumos. A receita do sucesso da Oral Gift, cujo faturamento saltou de R$ 100 mil para RS$ 800 mil nos últimos cinco anos, é convencer os varejistas que seus acessórios impulsionam também

 

Para continuar lendo cadastre-se gratuitamente.

Conteúdo restrito a assinantes e cadastrados.
Se você já é usuário, faça login.
Novos usuários podem se cadastrar abaixo.

 

Login de Usuários
   
Registro de Novo Usuário
*Campo obrigatório