Só faltam falar

As embalagens inteligentes reformularão desde a produção e a exposição até o consumo de alimentos, prevê o vice-presidente da Sealed Air

157
No bojo da economia circular, as embalagens inteligentes têm cadeira cativa como solução de sustentabilidade. Afinal, ela acena com predicados como a economia de matéria-prima e a diminuição de descarte de sobras de alimentos e sucata plástica no meio ambiente. Mas sua importância vai muito além da auréola verde, pois, como indicam seus desenvolvimentos iniciais no I Mundo, as embalagens inteligentes serão catalisadores de uma revolução em todas as facetas do negócio de alimentos, da sua industrialização, ao marketing, logística, estocagem no ponto de venda e até nos hábitos de compra, descortina nesta entrevista Ulisses Cason, vice presidente de Marketing Food Care da Sealed Air, ponta de lança dos EUA em flexíveis de vanguarda. Cason: menos fissuras na cadeia produtiva.

Conteúdo restrito a assinantes e cadastrados.

Se você já é usuário, faça login.
Novos usuários podem se cadastrar abaixo gratuitamente.

Login de Usuários
   
Registro de Novo Usuário
*Campo obrigatório
COMPARTILHAR
Matéria anteriorO mercado não perdoa
Próxima matériaOnde menos vale mais