Schulaketon assedia mercado de maquiagem

A. Schulman acena com composto para substituir poliacetal no sistema do batom

Apesar dos pesares três anos a fio na economia, o Brasil se segura em quinto lugar no ranking mundial dos mercados para produtos de maquiagem, atesta João Carlos Basílio, presidente da Associação Brasileira da Indústria de Produtos de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (Abihpec). De olho nesse nosso hipermega salão de beleza, Roberto Castilho, gerente comercial da subsidiária brasileira da componedora norte-americana A.Schulman, enxerga uma oportunidade literalmente à flor da pele para seu composto Schulaketon. “É constituído pela junção de elementos de poliolefinas com polióxido de metileno, devido à boa tribologia desses componentes, sendo indicado para o mecanismo interno quer empurra o stick colorido do tubo do batom sem gerar ruído”. A torcida da A.Schulman em relação a Schulaketon, explica o especialista, é para que seu uso seja  padronizado como solução embutida num único material para reduzir o tamanho do sistema do batom. Segundo Castilho, esse composto tem tudo para preencher a lacuna entreaberta pela notada rejeição do setor de cosméticos ao emprego de poliacetal, por conter formaldeído.