Sangue, suor e lágrimas

A recessão literalmente sangra a saúde pública. A rede nacional de hemocentros controlados pelo governo tem funcionado com custos defasados em, pelo menos, 35%, calcula Dante Langhi, diretor da Associação Brasileira de Hematologia, Hemoterapia e Terapia Celular (ABHH) e coordenador da hemorrede do Estado de São Paulo. “A situação é

Conteúdo restrito a assinantes e cadastrados.

Se você já é usuário, faça login.
Novos usuários podem se cadastrar abaixo gratuitamente.

Login de Usuários
   
Registro de Novo Usuário
*Campo obrigatório

VEJA +