Sacolas plásticas: proibida distribuição em Montreal

Veto da metrópole canadense abrange a embalagem tradicional e as versões bio e oxibio

Berço de Oscar Peterson, pilar do virtuosismo no piano do jazz, e segunda cidade do Canadá, Montreal abriu 2018 colocando em vigor a proibição de sacolas plásticas de saída de caixa, 23 meses após o anúncio oficial do veto pelos legisladores e de um período de cinco meses de adaptação concedido ao comércio. Tal como ocorreu em Buenos Aires, Santiago e Cidade do México, entre outros locais do continente americano, o banimento das sacolas de polietileno foi definido na imprensa pelas autoridades de Montreal como reação de combate ao impacto ambiental, terrestre e marinho, causado pelo incorreto descarte pós-consumo. A lei vigente na metrópole canadense proíbe a distribuição das sacolas plásticas convencionais com parede abaixo de 50 micra, assim como as versões bio e oxibiodegradáveis de qualquer espessura. Estão a salvo do veto, conforme divulgado na mídia, as sacolas plásticas destinadas estritamente ao transporte de alimentos até a saída de caixa ou para protegê-los do contato com outros itens adquiridos.