Rasante
Nem vem Favorita entre 10 em 10 analistas à compra da produtora de PVC Solvay Indupa, a Mexichem enterrou a boataria em declaração oficial à mídia do CEO Juan Pablo Del Valle, alegando sucinto que a controlada ofertada pela belga Solvay não preenchia os critérios de seu grupo para bater o martelo. Na América do Sul, o setor do vinil espera sentado pelo pretendente à noiva que a Solvay sonha entregar. Perdas e ganhos Em 2014, as vendas de poliolefinas da Braskem refletiram a desaceleração econômica e consequente recuo na produção de transformados no país. No mercado interno, a petroquímica comercializou 1,71 milhão de toneladas de PE, queda de 3% em comparação a 1,77 milhão de toneladas no exercício anterior. No flanco de PP, as vendas domésticas retrocederam 5%, saindo de 1,27 milhão de toneladas em 2013 para 1,20 milhão de toneladas no ano passado. Exportações de PE em 2014 totalizaram 680.390 toneladas, 13% menos do que 778.052 um ano antes. Já as vendas externas de PP cresceram 24%, batendo em 387.888 toneladas versus 311.899 na mesma base de comparação. A Braskem produziu 2,41 milhões de toneladas de PE no ano passado, volume 6% menor em relação a 2013, quando foram geradas 2,58 milhões de toneladas. Em PP, a produção brasileira do grupo caiu 2%, de 1,63 milhão de toneladas em 2014 para 1,59 milhão de toneladas em 2014. Apesar do tempo fechado na construção e infraestrutura, as vendas de PVC da Braskem, nº1 nacional no vinil, atingiram 659.549 toneladas

 

Para continuar lendo cadastre-se gratuitamente.

Conteúdo restrito a assinantes e cadastrados.
Se você já é usuário, faça login.
Novos usuários podem se cadastrar abaixo.

 

Login de Usuários
   
Registro de Novo Usuário
*Campo obrigatório