A esta altura do segundo tempo, o ano já é dado como perdido pelos fornecedores de máquinas para transformação de plástico. A frustração vem na garupa de motivos tão martelados à exaustão por analistas e porta vozes da indústria quanto ignorados pelo governo Dilma. Abrangem desde o clima de falta de confiança do empresariado para investir até a redução da demanda em diversos setores. No plano geral, a Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq) verberou na mídia, ao final de setembro, a projeção de recuo da ordem de 15-20% nas vendas no período atual perante o também sofrível 2013. Manda a praxe que, às vésperas do final do ano ou de novo mandato presidencial, personalidades da economia 

Conteúdo restrito a assinantes e cadastrados.

Se você já é usuário, faça login.
Novos usuários podem se cadastrar abaixo gratuitamente.

Login de Usuários
   
Registro de Novo Usuário
*Campo obrigatório
COMPARTILHAR
Matéria anteriorO bonde passou?
Próxima matériaPET cada vez mais em forma