Projeto de PP avança na Bolívia

Estatal YPFB opta pelo processo Spheripol para planta ao sul do país

YPFB-BoliviaMenção efêmera no planejamento estratégico da Braskem, bons anos atrás, o projeto de um complexo de poliolefinas via gás natural na Bolívia ganha contornos mais nítidos com os primeiros movimentos em torno de uma planta de polipropileno (PP). Em comunicado à imprensa, Mario Salazer Gonzales,  gerente da área petroquímica da estatal  Yacimientos Petroliferos Fiscales Bolivianos (YPFB), anunciou a escolha o processo Spheripol, da corporação LyondellBasel, para licenciar a unidade da ordem de 250.000 t/a de homopolímero de PP a ser erguida pelo governo Evo Morales em Tarija, localidade ao sul da Bolívia. Conforme assinalou Salazer, a primeira planta de termoplásticos da Bolívia, fazendo fronteira ao sul  com a Argentina e a oeste com o Paraguai, tem partida agendada para 2021. Hoje sediada no Texas, em Houston, a LyondellBasell ostenta mais de 250 licenciamentos do processo Spheripol, considerado pela empresa o mais utilizado na produção de PP no planeta. No Brasil, por sinal, todas as plantas de PP da Braskem em Triunfo (RS) rodam com tecnologia Spheripol.

Sem comentários

Leave a Reply