Pra comer com os olhos

Paviloche afia marketing de sorvetes com potes transparentes

Fora a clareza dos números de produção e consumo, a transparência tem ibope de TV Senado no palco dos sorvetes industrializados. A catarinense Paviloche, que completa 35 anos de ativa em 2017, soube aproveitar esse vácuo capitalizando para seu marketing, quase como exceção nacional no gênero, a diferença estabelecida por seus recipientes transparentes perante o mar de embalagens brancas da concorrência, centrada na região sul. “Foi uma inspiração que tivemos e bateu com o interesse em fidelizar os consumidores”, comenta Diógenes Pavinato, diretor comercial dessa indústria fundada por sua família em Joinville. “Queremos que, ao comprar um sorvete Paviloche, ele reconheça o valor da transparência para a marca”. Pavinato: comunicação visual repensada. Sem rufar tambores, a Paviloche entrou em potes

Conteúdo restrito a assinantes e cadastrados.

Se você já é usuário, faça login.
Novos usuários podem se cadastrar abaixo gratuitamente.

Login de Usuários
   
Registro de Novo Usuário
*Campo obrigatório

VEJA +