PP avança em silêncio

Composto com DNA ambiental corteja deslocar PA da capa antirruído de motor

Em contraste com décadas de reaproveitamento de componentes metálicos, a reciclagem de autopeças plásticas ainda está na infância, por razões como custos e propriedades dos materiais, além de tecnologias exigidas para sua recuperação, atribui a nova edição do relatório bienal “Plastics Market Watch – Automotive”, coassinado pela norte-americana Society of the Plastics Industry (SPI). O estudo assinala ainda o compromisso das montadoras em contribuir para reduzir o refugo no meio ambiente e agregar plástico reciclado a novos carros. Impregnada por estes fluidos da sustentabilidade, Kelly Cristina Lixandrão, doutoranda pela Universidade Federal do ABC (UFABC), flagrou um espaço abaixo do capô para botar em prática o espírito da coisa: a capa de isolamento acústico do motor. A proposta de Kelly é

Conteúdo restrito a assinantes e cadastrados.

Se você já é usuário, faça login.
Novos usuários podem se cadastrar abaixo gratuitamente.

Login de Usuários
   
Registro de Novo Usuário
*Campo obrigatório
COMPARTILHAR
Matéria anteriorDe volta ao radar
Próxima matériaMimimi não pega aqui