Plásticos de engenharia: QP e Advanced Polymers juntam forças

Vendas anuais da joint venture ultrapassam 5.000 toneladas

Sinergia, portfólio sarado de materiais top e aumento de capilaridade no mercado de especialidades armam o tripé dos motivos para a constituição de um peso pesado no varejo de plásticos de engenharia: a fusão da Químicos & Plásticos (QP) com a Advanced Polymers. “A sociedade foi iniciada em setembro passado e deve ser finalizada em um ano”, confia o diretor Everton Mellado que divide em partes iguais o controle da joint venture com o empresário Ricardo Crisóstomo. A nova empresa, sob a razão social Advanced Polymers, desponta à sombra de duas décadas de ativa da QP e oito da varejista parceira. “A soma das nossas carteiras ultrapassa a marca de 600 clientes ativos, o movimento anual deve superar 5.000 toneladas e estamos empenhados em elevar o volume a 6.500 toneladas em 2018”, delimita Mellado. Em relação ao mostruário de materiais nobres importados, o diretor lista como atuais campeões de vendas poliacetal, acrílico, policarbonato, polibutileno tereftalato, poliamida 6.6 e copolímero de acrilonitrila buiadieno estireno. “No ano que vem, o catálogo será fortalecido pelo ingresso de PET, poliamida 6, poliuretano termoplástico e copolímero de eteno-acetato de vinila”. Na esteira, Mellado acena com o plano de oferecer resinas de engenharia beneficiadas por encomenda (tolling) por componedor local não revelado. Na esfera logística, a Advanced Polymers opera agora vitaminada por três centros de distribuição (São Paulo, Paraná e Santa Catarina) e força comercial composta no momento de cinco vendedores internos e 25 externos, alojados no Sul, Sudeste e Nordeste. “Ainda engatinhamos no comércio digital, mas novidades nessa área entrarão em campo em 2018”, promete o diretor.