PET: Alpek corta suprimento de PTA para M&G em Suape

Vendas da matéria-prima estão sustadas enquanto dívida não for paga

739

O complexo de 1 milhão de t/a de PET da M&G no Brasil encara um problema de disponibilidade de um componente chave para a produção do poliéster. Conforme nota divulgada pelo jornal virtual norte americano. Plastics News, o conglomerado mexicano Alpek SAB  anunciou em 12 de setembro último a decisão de parar de suprir ácido tereftálico purificado (PTA) para duas unidades na América Latina de sua cliente e competidora, a corporação italiana M&G. O corte nas entregas de PTA vigora enquanto a Alpek não receber o montante de US$ 49 milhões que afirma lhe ser devido. As duas plantas penalizadas da M&G ficam no México, em Altamira, e no Brasil, em Suape, mesmo local onde a concorrente Alpek  opera o complexo de PTA e PETgraus garrafa e fibra que adquiriu da Petrobras.