O vento sempre muda

O antidumping para PP dos EUA foi renovado. Mas amanhã será outro dia, confia o trader da Konver.

O fosso entre o gogó liberal e a prática protecionista do Brasil acentuou-se em 31 de outubro, com a publicação da portaria da Câmara de Comércio Exterior (Camex) homologando a renovação por mais cinco anos do antidumping para importações norte-americanas de polipropileno (PP) em vigor desde 2011, um conforto para a resina nacional, produzida apenas pela Braskem. Tal como ocorreu no recente repique da sobretaxa alfandegária para PVC dos EUA e México – esta rumo a 29 anos de permanência – a decisão do Brasil foi tomada numa conjuntura de exportações incipientes de PP norte-americano para o Brasil, efeito do câmbio, recessão doméstica e da exígua disponibilidade do polímero na América do Norte para vendas externas. Nesta entrevista, Fabio Carneiro,

Conteúdo restrito a assinantes e cadastrados.

Se você já é usuário, faça login.
Novos usuários podem se cadastrar abaixo gratuitamente.

Login de Usuários
   
Registro de Novo Usuário
*Campo obrigatório

VEJA +