O sol não é para todos

Na recessão irada, o mercado de proteção solar é um quarto do pânico para cosméticos e suas embalagens

Após duas décadas de foguetório aceso por taxas de crescimento de dois dígitos, período em que exultava por estar acima do bem e do mal da economia, o setor de artigos de higiene & beleza sentiu a recessão puxar-lhe o tapete em 2015. Na contramão da confiança esbanjada por seus porta-vozes, o movimento caiu 6% no ano passado, segundo medição da Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (Abihpec). O diagnóstico acerta no atacado, mas, no pente-fino por categoria, a conversa pode ser outra, como indica uma praia quase particular das embalagens de polietileno, o campo da proteção solar. “Não posso abrir números, mas nossas vendas de protetores, bronzeadores e loção pós-sol vêm crescendo”, ilustra Marcos Sanches,

Conteúdo restrito a assinantes e cadastrados.

Se você já é usuário, faça login.
Novos usuários podem se cadastrar abaixo gratuitamente.

Login de Usuários
   
Registro de Novo Usuário
*Campo obrigatório
COMPARTILHAR
Matéria anteriorBons fluidos
Próxima matériaPérolas aos porcos