O negócio é largar na frente

Braskem puxa fila das futuras capacidades de PP nos EUA

Ao partir no ano passado seu complexo petroquímico no México, a Braskem desfrutou a vantagem de colocar a produção sem maiores dificuldades, por largar em primeiro no atual ciclo de expansões da capacidade de polietileno (PE) na América do Norte, previsto para ganhar a rua do quarto trimestre em diante. A tática de sair na dianteira passa agora para polipropileno (PP), indica o anúncio do investimento de US$ 675 milhões na construção de uma fábrica de 450.000 t/a, com partida agendada para 2020, no complexo texano em La Porte onde o grupo roda uma unidade de 354.000 t/a do polímero. No diapasão dos analistas, a investida cai bem num cenário desprovido de novas plantas de PP desde 2005, lacuna que,

Conteúdo restrito a assinantes e cadastrados.

Se você já é usuário, faça login.
Novos usuários podem se cadastrar abaixo gratuitamente.

Login de Usuários
   
Registro de Novo Usuário
*Campo obrigatório
COMPARTILHAR
Matéria anteriorAlguma coisa mudou
(para melhor)
Próxima matériaOperação Virada