O desfrute da fruta

Superbom descortina céu de brigadeiro para o mercado de sucos naturais

Superbom: afinidade com o público vegetariano.
Puxado por sucos, substitutos de carne e méis, o faturamento da Superbom com seu mostruário de 11 produtos e mais de 25.000 pontos de venda contornou a crise em 2016 com crescimento de 7,3%, esclarece sem abrir a receita David Oliveira, gerente de marketing dessa indústria alimentícia paulista, na ativa desde 1935. O presidente Getúlio Vargas foi o inspirador da marca numa visita em 1936 ao taxar de super bom o suco que lhe fora oferecido. Na entrevista abaixo, o executivo dá o que pensar ao setor plástico ao justificar sua preferência, quase isolada em seu segmento, por outro material para envasar seus conhecidos sucos, mas acena com a estreia este ano de outros alimentos acondicionados em plástico. Oliveira: sucos abocanham mercado dos refrigerantes PR – Pelo monitoramento da Associação Brasileira da Indústria de Refrigerantes e Bebidas Não Alcoólicas (Abir), as vendas da categoria dos sucos prontos/néctares cresceu na faixa de dois dígitos percentuais anuais de 2010 a 2014, recuando pela primeira vez -3,7% em 2015. A seu ver, o movimento da categoria reagiu, estabilizou ou caiu ainda mais com a continuidade da recessão em 2016? Oliveira – O mercado anda bastante estabilizado, as pessoas ainda estão receosas com seus gastos e consumo em geral. No entanto, a migração de bebidas como refrigerantes para sucos não é mais uma tendência, mas uma realidade. Desse modo, acreditamos que, com a retomada da economia, a categoria de sucos voltará a crescer de forma expressiva. PR – O Brasil anuncia compromisso com a

 

Para continuar lendo cadastre-se gratuitamente.

Conteúdo restrito a assinantes e cadastrados.
Se você já é usuário, faça login.
Novos usuários podem se cadastrar abaixo.

 

Login de Usuários
   
Registro de Novo Usuário
*Campo obrigatório