Não estamos tão mal na foto

Apesar da economia, o setor nacional de injeção vem se modernizando. Mas não pode bobear na qualificação da mão de obra

Embora os custos para reduzir a operação manual permaneçam elevados, o Brasil não está tão defasado assim quanto à automação no processo de injeção de componentes automotivos e peças técnicas em geral. Ainda estamos atrás dos países desenvolvidos, mas as transformadoras brasileiras percebem cada vez mais a qualidade e economia

Conteúdo restrito a assinantes e cadastrados.

Se você já é usuário, faça login.
Novos usuários podem se cadastrar abaixo gratuitamente.

Login de Usuários
   
Registro de Novo Usuário
*Campo obrigatório

VEJA +