Jabuticaba de plástico

Uma pergunta para a ministra Tatiana Rosito, secretária executiva da Câmara de Comércio Exterior (CAMEX)

Tatiana Rosito PR – O Brasil deixou de produzir há bom tempo a resina plástica de poliamida 6 (PA 6). No entanto, ela continua gravada com tarifa de 14% de importação, percentual em regra aplicado aos materiais importados com similar nacional. A Nomenclatura Comum do Mercosul (NCM) relativa a poliamidas 6 e 6.6 coloca estes dois tipos no mesmo bojo. Acontece, no entanto, que o tipo 6.6 é produzido no Brasil pela Rhodia. Como a CAMEX avalia o nexo desse ônus tarifário para quem produz peças de PA 6 no Brasil e o que pretende fazer para corrigir essa distorção tarifária? Tatiana Rosito – No Brasil, compete à CAMEX fixar a alíquota do imposto de importação, observados os compromissos internacionais

Conteúdo restrito a assinantes e cadastrados.

Se você já é usuário, faça login.
Novos usuários podem se cadastrar abaixo gratuitamente.

Login de Usuários
   
Registro de Novo Usuário
*Campo obrigatório

VEJA +