Insensatez é a trilha sonora

Clássico de Jobim combina com a realização de duas feiras quase geminadas

Mesmo com boa vontade, o número de gênios brasileiros de reconhecimento universal perde até para a canhota desfalcada de Lula. Uma dessas raras unanimidades é Tom Jobim, alvo neste início de 2017 de curvaturas em canto e prosa pelos 90 anos de seu nascimento. Suas composições passam longe do engajamento político ou opiniões no calor do momento, uma possível razão, ao lado de um talento musical absurdo, para a permanência delas. Mas fora do piano, a conversa era outra e quando sua visão da realidade saltava da língua ferina vinham frases que ficaram. “Este é um país em que as prostitutas gozam, os traficantes cheiram e em que um carro usado vale mais que um carro novo. É ou não

Conteúdo restrito a assinantes e cadastrados.

Se você já é usuário, faça login.
Novos usuários podem se cadastrar abaixo gratuitamente.

Login de Usuários
   
Registro de Novo Usuário
*Campo obrigatório
COMPARTILHAR
Matéria anteriorA esperança encalhou
Próxima matériaEd. 632 – Dez/16-Jan/17