Injeção sangue azul

O ativo mais valioso das Nycolplast é o profissionalismo

Time da Nycolplast: Vagner Gonçalves (Fiscal); Francieli Pereira (TI); Sérgio Cunha (Sistema de Qualidade);Viviane Cholla (RH); Márcio Rossini (Manufatura); Karla Farias (Qualidade/Processos); Reina Montoia (Compras); Yuri Vaz (Segurança do Trabalho); Ivony Eyng (Ferramentaria); Edenalte Boing (Financeiro) e Paulo Liberato.
Em 2012, a catarinense Nycolplast rodava com 15 injetoras. No ano seguinte, comprou duas linhas. Vieram mais sete em 2014 e quatro no ano passado. O pique dessa expansão é ditado pela excelência no trabalho com plásticos de engenharia reconhecida por cabeças coroadas da indústria de produtos finais do naipe das múltis de autopeças Lear, Magna e Johnson Controls ou a nacional Intelbras, fera em telecom. E a crise não murcha o frenesi por trás do plano de metas. “Para este ano, está acertada a compra de robôs e equipamentos de movimentação e transporte, além da implementação do Sistema Integrado TOTVS e ,para atender aos requisitos do setor automotivo, a certificação pela ISO TS 16949”, adianta o diretor de operações

Conteúdo restrito a assinantes e cadastrados.

Se você já é usuário, faça login.
Novos usuários podem se cadastrar abaixo gratuitamente.

Login de Usuários
   
Registro de Novo Usuário
*Campo obrigatório
COMPARTILHAR
Matéria anteriorO barato do pó
Próxima matériaMenos sustos nos custos