Ineos vai importar etano dos EUA para produzir eteno na Escócia

Acordo de suprimento firmado com Exxon e Shell entra em vigor daqui a dois anos

Em procedimento cada vez mais frequente na indústria europeia, a petroquímica Ineos fechou acordo com Exxon Mobil e Shell para suprir, a partir de 2017, sua unidade escocesa de eteno com etano norte-americano derivado do gás de xisto. O etano desembarcado no terminal de Grangemouth, operado por Shell e Exxon no Reino Unido, será remetido à planta do petroquímico básico em Fife. Conforme divulgou a Ineos, esse suprimento de etano complementará o fornecimento do derivado originário de reservas de gás no Mar do Norte. Trata-se de um acordo marcante para todos os envolvidos, reiteraram as fontes da Ineos. Na ativa desde 1985, a fábrica de eteno na Escócia é um dos quatro crackers europeus no gênero alimentados com gás natural e sua capacidade é estimada em 830.000 t/a.