Haitian planeja montar injetoras no México

Planta filial poderá exportar máquinas a preços mais atraentes para o Brasil

Marca de injetoras entre as mais vendidas no Brasil, a chinesa Haitian trombeteia na mídia internacional o plano de abrir em 2021 uma planta filial no México. Sem abrir o montante em vista, a fábrica configura o arremate numa estratégia que somará este ano seis centros de assistência técnica no mercado mexicano, onde a Haitian colocou em torno de 400 injetoras em 2018, equivalentes a uma receita aproximada de US$32 milhões. Conforme foi noticiado, a Haitian sustenta deter a liderança nas vendas de injetoras no país, com participação de mercado da ordem de 30%. A fábrica filial será erguida em Acatlán de Jurez, a cerca de 30 milhas de Guadalajara e a intenção é estender o raio de alcance das linhas ali montadas ao restante da América Central e alguns países da América do Sul. É um cenário onde o Brasil, possuidor do maior parque de injeção de plásticos do subcontinente, pode despontar como cliente, efeito da competitividade em preços que bafeja as exportações de produtos mexicanos para cá, a tiracolo das isenções tarifárias entranhadas no acordo comercial bilateral entre os dois países.

COMPARTILHAR