Excedente de PET virgem atazana reciclagem nos EUA

A pressão para baixo nos preços do poliéster recuperado não deve afrouxar

528

O bicho está pegando para os lados da reciclagem de PET nos EUA e não há sinal de alívio tão cedo. “Os preços baixos do poliéster virgem vão prosseguir”, vaticinou Tison Keel, diretor da consultoria IHS Chemical no evento Plastics Recycling 2016, conforme divulgou o jornal virtual Plastics News. Segundo o analista, campeia a superoferta de PET virgem na América do Norte, Europa e Ásia, o que converge para a exigência de movimentos de racionalização no setor. “Veremos a saída de duas indústrias nos próximos anos”, reiterou o consultor, descartando ainda hipótese de dias melhores para os recicladores a curto prazo. “Os preços do reciclado devem seguir pressionados e a consistência do comprometimento dos seus clientes com o desenvolvimento sustentável será testada nos próximos três ou quatro anos”. No mesmo evento, Phillip Karibng, diretor da consultoria Mathelin Bay Associates LLC, reiterou que o negócio de recuperação de PET não cabe mais na moldura restrita das condições de preço do recuperado, devendo estender-se agora, para garantir rentabilidade junto a clientes mais engajados na sustentabilidade, pelas áreas de design e ações de controle do meio ambiente, como rastreamento de emanações de gás estufa.