PacXpert: produção de três tamanhos ainda no primeiro semestre.
Nº 1 global em polietilenos, a norte-americana Dow selecionou o goiano Grupo Embalo para o pontapé inicial na nacionalização de sua patente da embalagem flexível PacXpert. O acordo foi assinado com a Camada, unidade paulista da transformadora onde foram gerados os primeiros lotes. A produção definitiva, contudo, está a caminho da planta de Aparecida de Goiânia (GO), esclarece o diretor de marketing da empresa brasileira Henrique Lewi. “Já produzimos o modelo de 3,6 litros e até o fim do primeiro semestre entram em linha os tipos de 5 e 10 litros”, ele antecipa. PacXpert, esperam a Dow e o Grupo Embalo, tem potencial para substituir diversos formatos de embalagens rígidas para acondicionamento de líquidos e sólidos, evitando desperdícios e otimizando o transporte e descarte. Em sua composição entram as famílias Affinity, de polietileno de baixa densidade linear (PEBDL) metalocênico, Dowlex, de PEBDL base octeno, bem como o adesivo de construção Amplify e a resina Attane, de polietileno de ultra baixa densidade (ULDPE), ilustra Charly Eid, gerente de marketing para o negócio de embalagens e alimentos da Dow na América Latina. A estrutura, ele prossegue, varia de acordo com o volume envasado e pode conter três, cinco ou sete camadas. “Quanto maior a embalagem, maior a economia”, sustenta o especialista. De acordo com Eid, a opção pelo Grupo Embalo como parceiro na empreitada foi baseada no conhecimento de mercado, além da facilidade de acesso a segmentos nos quais a Dow deseja inserir a embalagem. Trata-se do primeiro acordo desse tipo firmado

 

Para continuar lendo cadastre-se gratuitamente.

Conteúdo restrito a assinantes e cadastrados.
Se você já é usuário, faça login.
Novos usuários podem se cadastrar abaixo.

 

Login de Usuários
   
Registro de Novo Usuário
*Campo obrigatório
COMPARTILHAR