Engel aprimora tecnologia para autopeças maiores

Avanços incluem roscas de geometria especial, mesas para troca de moldes e células de injeção

Sangue azul das injetoras sem colunas, a austríaca Engel está de olho na acelerada metamorfose em curso na indústria automobilística, energizada pelos adventos da eletrificação do motor e do carro sem motorista. Udo Löhken, diretor da base comercial da Engel no Brasil, comprova o esforço da empresa em acertar o passo com a evolução das autopeças injetadas servindo à mesa seis tecnologias saídas do pipeline da matriz em Schwertberg: decojet e clearmelt, para peças do interior do carro; optimelt, para iluminação; organomelt, para peças estruturais em lugar de metálicas; foammelt, para componentes mais leves, e glazemelt, para o plástico substituir vidros automotivos. Para a injeção de autopeças de maior envergadura, Löhken pinça entre as recentes sacadas da Engel uma rosca de injeção de alta rendimento com geometria especial; mesas para troca rápida de moldes de maiores dimensões e células completas de produção. “Constam de injetoras de grande porte com robôs lineares ou de seis eixos e mesas de troca rápida de moldes”, sintetiza o diretor.