Ele ajuda a responder

Por que a América Latina virou um deserto de projetos petroquímicos?

629
Desde quase sempre, a América Latina (exclusive México) é alojada na categoria “rest of the world” (resto do mundo) na divisão do mapa global dos investimentos petroquímicos. O máximo de aparição positiva que a região consegue aos olhos desses investidores é quando chama a atenção pelo vigor do seu mercado nos bons momentos em que não sucumbe a turbulências políticas e populismos econômicos. Nesta entrevista, Rina Quijada, diretora senior para a América Latina da consultoria norte-americana IHS Chemicals, interpreta esta sina de uma região onde petroquímica passa de atividade empresarial a uma realização do governo. Rina Quijada: petroquímica dependenteda política na AméricaLatina. PR – Porque tantos projetos petroquímicos na América Latina são super anunciados e não saem do papel? Por

Conteúdo restrito a assinantes e cadastrados.

Se você já é usuário, faça login.
Novos usuários podem se cadastrar abaixo gratuitamente.

Login de Usuários
   
Registro de Novo Usuário
*Campo obrigatório
COMPARTILHAR
Matéria anteriorDo lixo ao ouro
Próxima matériaA selfie do setor