Como se reconhece um grande homem?

É aquele, diz o senso comum, que impacta com suas ações positivas o ambiente em que vive e que contribui para o crescimento individual e profissional dos que o cercam

Informe Especial

Rene Bourquin foi um grande homem. Dedicou 70 anos de sua vida ao desenvolvimento de projetos, criação de empresas e empregos.

Merece mais que uma homenagem.

Da Suíça, da cidade Grenchen, onde nasceu em 1924, aportou no Brasil em 1947. Naturalizou-se brasileiro e por 70 anos dedicou-se à criação e desenvolvimento de projetos e produtos que hoje fazem a diferença em nosso dia a dia.

No Grupo Hora, onde ingressou em 1947, convidado por Edgar Kocher, durante treze anos debruçou-se sobre a criação de grandes projetos. Os resultados foram desde o desenvolvimento de despertadores mecânicos com componentes estampados a relógios cuco, carrilhão e mecanismos de relógios introduzidos em bonecas. Foi mais além, criando o velocímetro do Jeep Willys, o painel do Dodge Polara, o primeiro placar do Estádio do Morumbi e o display de votação da Câmara de Vereadores da cidade de São Paulo.

Seu vasto conhecimento na indústria de relógios e plástico levou Dilson Funaro, nos anos 60, a recrutá-lo. Foram inúmeras suas contribuições para as empresas Cartuchos Cariocas, Kira, Monitora e Cibrape. Atuou ainda na Companhia Trol, também de Funaro, tida na época como uma das maiores transformadoras de plástico da América Latina.

Rene Bourquin, dada sua trajetória e vasto conhecimento de relógios e plásticos cria, por fim, junto com sua esposa Helga Bourquin, em 1972, sua própria empresa, a Ferplast. Do endereço da zona sul da cidade de São Paulo, desenvolveu inovações tecnológicas decisivas e inovadoras para a indústria plástica, a exemplo, dentre vários, da injeção dupla e inserção automática de arames em bobinas injetadas. Não parou por aí.

Em 1982, adquiriu a Neomatic Mecânica de Precisão, especializada em equipamentos de medição e metrologia e com foco em mercados que necessitam de controle de qualidade de produtos industriais de chão de fábrica, deixando a administração ao seu genro Marco Antônio Galves.

Visionário e com o objetivo de manter a empresa sempre atualizada, em 1993, globalizou a Ferplast através de um braço na Europa e de parcerias internacionais.

Atualmente sediada em Mairinque, interior de São Paulo, a Ferplast dedica-se ao desenvolvimento de moldes para injeção, engrenagens e sistemas de engrenamento em termoplástico de engenharia, além da produção de pecas técnicas, com rigorosos requerimentos dimensionais, para os mercados automobilístico, eletrônico e de linha branca. Tudo isso graças ao seu grupo técnico, administrativo e comercial e a uma gestão profissional focada em resultados.

Rene Bourquin faleceu em julho de 2017. Foi casado com Helga Bourquin, e teve uma filha, Veronika Renee Bourquin Galves e dois netos, Rene Bourquin Galves e Marco Antonio Bourquin Galves, e uma bisneta, Anna Luiza.

Esta é uma pequena homenagem a um grande homem.