Atrás das grades

Os bem-vindos impactos da nacionalização de Diamond Grid

Uma luz captada no breu recessivo da construção e uma mazela do nosso comércio exterior conspiraram para a nacionalização de uma sacada australiana à base de polipropileno reciclado (PP): os sistemas injetados para estabilização de superfícies Diamond Grid (DG). Agente do produto no Brasil, a Centere sentiu chão firme na demanda ao apresentar a tecnologia em feiras do agronegócio e engenharia civil no primeiro semestre. “Ela está em linha com a conjuntura econômica atual, pois reduz o cronograma da obra e a necessidade de manutenção dos pisos e pavimentos e, quando associado ao concreto, pode baixar em até 60% o custo deste insumo específico”, esclarece Ana Paula Freitas dos Santos, diretora comercial da distribuidora. A esses predicados, ela conta, somaram-se

Conteúdo restrito a assinantes e cadastrados.

Se você já é usuário, faça login.
Novos usuários podem se cadastrar abaixo gratuitamente.

Login de Usuários
   
Registro de Novo Usuário
*Campo obrigatório
COMPARTILHAR
Matéria anteriorÁgua viva
Próxima matériaVem aí um abalo sísmico