América do Norte: consumo de resinas cresce no 1º semestre

Levantamento setorial destaca as vendas de PVC nos EUA e Canadá

PVCA entidade American Chemistry Council (ACC) começa a liberar os indicadores  do desempenho no primeiro semestre das resinas produzidas na América do Norte. .Em contraste com o recuo estimado em 11%no mercado brasileiro, as vendas de PVC nos EUA e Canadá aumentaram 7,4% na primeira metade do ano, atingindo o patamar de 3,5 milhões de toneladas. Sem abrir tonelagens, a ACC aferiu salto à beira de 14% nas exportações norte-americanas do vinil. Na escalada de PVC, interpretou a associação, pesou o início este ano da da construção de cerca de 1.2 milhão de imóveis, efetivo considerado perto de 10% superior ao registrado em 2015. Quanto às aplicações de PVC, a entidade percebeu, no primeiro semestre, crescimento arredondado em 7% nas vendas de PVC para tubos, enquanto o movimento para perfis de janelas e portas pulou por volta de 20% no mesmo período. Na esfera de polietileno de alta densidade (PEAD), a ACC rastreou vendas norte-americanas na faixa de 3,5% maiores na metade inicial de 2016, equiparáveis a cerca de 4,4 milhões de toneladas. As exportações do polímero, por sua vez, evoluíram 21% no semestre passado. O saldo surpreendeu produtores locais de PEAD cujas projeções ortodoxas em regra atrelam à resina uma taxa de  expansão em linha com o PIB dos EUA, que cresceu 1% de janeiro a junho último. Por sua vez, as vendas norte-americanas de polipropileno (PP, com México incluso) e polietileno de baixa densidade (PEBD) dos EUA e Canadá avançaram abaixo de 1% no primeiro semestre, período em que as vendas de polietileno linear mantiveram-se estáveis e as de poliestireno recuaram 1,5% (México incluso) embora as vendas do polímero para embalagens e peças para eletrodomésticos e eletrônicos tenham subido, respectivamente, por volta de 1% e 6% na América do Norte, assinala o levantamento da ACC.

Sem comentários

Leave a Reply