A pausa que refresca

Filme biodegradável indiano retarda deterioração de hortifrútis exportados

Nº1 do Brasil na produção de melão e melancia e na exportação de frutas in natura, a cearense Famosa Agrícola tem tudo para também largar em primeiro numa frente do desenvolvimento sustentável. Após prolongados experimentos, ela já avalia o transporte marítimo para a Europa de papaia embalada em FlexFresh, patenteado filme da indiana Uflex que se biodegrada quando submetido à compostagem. “Papaia é uma espécie muito sensível e, com base nos ensaios bem sucedidos, enxergamos a oportunidade de oferecer FlexFresh para outras frutas e vegetais no mercado brasileiro”, adianta N. Siva Shankaran, vice-presidente da Uflex. Na ativa desde 1985 e sediada em Noida, cidade satélite de Nova Delhi, a Uflex é a maior transformadora de flexíveis da Índia, com faturamento da ordem de U$1 bilhão e, além das bases no país de origem, possui fábricas nos Emirados Árabes Unidos, Polônia, México e EUA, sendo verbete global em filmes como os biorientados de poliéster (BIOPET) e polipropileno (BOPP). FlexFresh é produzido desde 2014 em Noida para suprimento mundial e a hipótese de transpor a película a outras plantas da múlti indiana depende do volume de pedidos e da base de clientes no continente em vista, condiciona Shankaran. Em parceria com a holandesa Perfotec B.V, a Uflex concebeu FlexFresh para ampliar a vida útil de alimentos frescos da Índia. Os pesquisadores constataram que nenhum polímero convencional testado para ampliar o shelf life de frutas in natura apresentava, em separado, desempenho igualmente satisfatório nas funções de barreira à água e ao oxigênio. As

 

Para continuar lendo cadastre-se gratuitamente.

Conteúdo restrito a assinantes e cadastrados.
Se você já é usuário, faça login.
Novos usuários podem se cadastrar abaixo.

 

Login de Usuários
   
Registro de Novo Usuário
*Campo obrigatório
COMPARTILHAR