A Geni do meio ambiente

As críticas aos canudos plásticos são mais uma forma de livrar a cara de quem emporcalha o ecossistema

“Os canudos plásticos estão sendo massacrados na mídia mundial como inimigos do meio ambiente, culpados pela poluição marinha e urbana. Os críticos têm razão ou, como reza aquele ditado, afobado come cru? Vejamos: é sabido pela população que o plástico tem um tempo prolongado de decomposição e absorção pelo meio ambiente, na média de 450 anos. Mas há um detalhe que não é divulgado: se o material for descartado corretamente, é possível a sua recuperação e reúso em outras aplicações. Ou seja, os canudos, tal como as embalagens em geral, recebem os efeitos da falta de conscientização da sociedade relativa ao descarte correto. Na verdade, portanto, o grande vilão é o homem que não acondiciona nem descarta lixo de maneira adequada. Até o filtro do cigarro, que tem seu tempo de decomposição estimado de cinco a 10 anos e é jogado com assiduidade nas ruas, torna-se um estorvo em dias de chuva para o ecossistema, ao ajudar a entupir os bueiros e, se levado pela corrente para o mar, pode causar asfixia ou contaminação do animal que o ingerir, devido à presença da nicotina em sua composição. Em suma, dá para elencar, nessa trilha dos canudos, uma infinidade de produtos que, por essa linha radical de raciocínio, constituiriam potenciais pesadelos para a natureza. Só para exemplificar: a faca foi um dos primeiros utensílios produzidos pelo homem para garantir sua subsistência. Se ele a utiliza para matar alguém, quem é o criminoso: a faca ou quem faz mau uso dela? Outra

 

Para continuar lendo cadastre-se gratuitamente.

Conteúdo restrito a assinantes e cadastrados.
Se você já é usuário, faça login.
Novos usuários podem se cadastrar abaixo.

 

Login de Usuários
   
Registro de Novo Usuário
*Campo obrigatório
COMPARTILHAR