A escrita na parede

A conjuntura do Brasil sob o prisma do julgamento sob incerteza

No calor do bombardeio das delações da JBS sobre Brasília e de suas avarias reflexas na economia, o dirigente brasileiro de um bíceps global em plásticos de engenharia não se abate. Ele se aferra à visão do negócio craneado para muito além desse momento quando questionado sobre a penúria de seu maior mercado, a indústria automobilística. Sua produção hoje equipara-se aos patamares de 2008 e ela opera com mais de 50% de ociosidade na capacidade para montar 5 milhões de veículos ao ano. “Apesar dos descalabros da política e do empobrecimento da população, o Brasil permanece um mercado de gigantismo merecedor da atenção e o povo gosta de consumir. O Brasil superou outras crises tão graves quanto esta. Essa crise

Conteúdo restrito a assinantes e cadastrados.

Se você já é usuário, faça login.
Novos usuários podem se cadastrar abaixo gratuitamente.

Login de Usuários
   
Registro de Novo Usuário
*Campo obrigatório

VEJA +