A prefeitura de São Paulo comunica a revogação da lei da oferta e da procura em favor do idealismo verde. A decisão foi oficializada na escolha de materiais de fontes renováveis para compor as sacolinhas plásticas em uso no comércio paulistano a partir de abril próximo, em lugar da tradicional versão, crucificada no livro negro dos ecoxiitas, à base de polietileno (PE) de origem fóssil. Qualquer criança de chupeta associa sacolas de saída de caixa a uma embalagem commodity e, como tal, movida a preço e ganhos de escala, sendo ofertada a comerciantes, supermercados à frente, por um exército de fornecedores de todos os portes. Quanto aos plásticos de fontes renováveis, por força do preço nas alturas e escalas da

Conteúdo restrito a assinantes e cadastrados.

Se você já é usuário, faça login.
Novos usuários podem se cadastrar abaixo gratuitamente.

Login de Usuários
   
Registro de Novo Usuário
*Campo obrigatório
COMPARTILHAR
Matéria anteriorA triagem dos preços
Próxima matériaFina estampa